MAIS UM CASO DE RACHA: Foto: Reprodução Rede Sociais

De acordo com a Polícia Militar, jovem desobedeceu às ordens de parada e fugiu em alta velocidade; Yotuber posta vídeos fazendo manobras perigosas, inclusive rachas

A youtuber Amanda Andrade Maturana, de 22 anos, conhecida como ‘Amanda da 160‘, morreu na sexta-feira (6) ao cair em um barranco enquanto pilotava sua moto no bairro Igapó, em Londrina (PR).

De acordo com a Polícia Militar, a jovem estava em alta velocidade e morreu, após ela despistar uma viatura durante uma perseguição.

Ainda de acordo com a PM, a youtuber pilotava uma Yamaha XJ6 de 600 cc. Em seu canal no YouTube, a jovem publicou o momento que pegou a moto na concessionária. Nas redes sociais, Amanda publicava suas manobras perigosas. A investigação irá apurar se ela estava alcoolizada.

Segundo a PM, a viatura foi acionada por volta das 23h para acabar com um suposto racha de motos e carros na Avenida Expedicionários na cidade paranaense. Ao verem os policiais, as motos fugiram em várias direções para não serem abordadas. ‘Amanda da 160’ teria sido uma das pessoas que fugiu da abordagem.

Ainda segundo a PM, houve a perseguição até a viatura perdeu o contato visual da moto consuzida por ‘Amanda da 160’. Algum tempo depois, a PM foi acionada para atender a um acidente com motociclista, no qual doi constatado que se tratava da mesma pessoa que fugiu da viatura.

Os policiais informaram ainda que testemunhas relataram que a youtuber bateu num veículo no cruzamento das Avenidas União Soviética com Iugoslávia. A youtuber perdeu o controle da moto e caiu em um barranco. Ela estava sem capacete quando o socorro chegou e morreu no local. Os policiais informaram que, provavelmente, o equipamento saiu no momento da queda. ‘Amanda da 160’ apresentava ferimentos na cabeça, tórax e cervical.

Relatos no canal

Estou acostumando com a moto’, disse youtuber dias antes Dois dias depois de comprar a moto, ela publicou em seu canal, em 1 de novembro, o primeiro “motovlog, um vídeo gravado com uma câmera no capacete enquanto o motorista dirige. Na ocasião, Amanda comentou que ainda estava se acostumando com o novo veículo, pois a quantidade de cilindradas era bem maior que a da antiga moto, de 160 cilindradas, o que lhe rendeu o apelido ‘Amanda da 160’.

Numa outra postagem, ‘Amanda da 160’ escreveu: “Estou acostumando com a moto, não estou acelerando muito que nem louca porque ela é bem mais pesada. O pé estabiliza bem no chão, mas é bem mais pesada. Eu tinha uma 160 cilindradas e é muito diferente dessa aqui. Estou muito feliz com essa moto. Foram 40 e poucos dias esperando e finalmente saiu”.

Com 74,6 mil seguidores no canal do YouTube, ‘Amanda da 160’ tinha quase dois milhões de visualizações em seus vídeos. No Instagram, 54,6 mil seguidores acompanhavam o cotidiano da influencer.

Projeto de lei 130/20

Os casos envolvendo rachas praticados por youtubers – que postam seus crimes de trânsito no canal do youtube – estão cada vez mais frfequentes nas vias urbanas e rodoviárias do país. O SOS Estradas e a entidade “Trânsito Amigo” têm desenvolvido diversas ações em conjunto e foram um dos responsáveis pelo Projeto de Lei 130/20, da deputada Christiane Yared, que dispõe sobre punições para pessoas que cometam infrações e divulguem nas redes sociais ou outros meios digitais, eletrônicos ou impressos. Entre as punições previstas no projeto, está a de quem praticar infrações de circulação de natureza gravíssima e publicá-las nas redes sociais terá por 12 meses a cassação do documento de habilitação. No caso de reincidência no prazo de dois anos, será cassado o direito de dirigir.

Infelizmente, com a atual legislação, as autoridades não conseguem sequer retirar do ar os vídeos que incitam a prática de crimes de trânsito. A empresa responsável pelo canal do YouTube, com sede no exterior, está longe do alcance das leis brasileiras, apesar de ter profissionais trabalhando no país que estão cientes dos crimes praticados.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui