Novo modelo de pedágio está sendo estudado pelos governos estadual e federal. Concessões atuais vencem em 2021

Uma nova delegação das rodovias federais que fazem parte do Anel de Integração, no Paraná, foi discutida entre o governo do estado e a União na terça-feira (9). O Anel de Integração é formado por 2,5 mil quilômetros de rodovias, dos quais cerca de 1,8 mil são estradas federais delegadas ao estado. As concessões foram assinadas em 1997 e chegam ao fim em 2021.

A proximidade do fim dos contratos de pedágio foi discutida em uma reunião da governadora Cida Borghetti (PP) com o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, em Brasília.

Segundo a governadora, a renovação dos atuais contratos está descartada e é preciso debater qual o modelo a ser adotado. Ela solicitou formalmente ao Ministério dos Transportes uma nova delegação das rodovias federais.

De acordo com a Agência Estadual de Notícias do governo, durante o encontro ficou decidido que o novo modelo de concessão será definido em conjunto pelas duas esferas de governo. Além disso, segundo o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), “foi nomeado um grupo de trabalho para estudar um novo programa de concessão, que contemple mais obras e redução substancial no valor das tarifas de pedágio”. Nos próximos dias, o secretário nacional de Transportes Terrestre e Aquaviário, Luiz Felipe Carvalho, deverá vir a Curitiba para tratar do assunto.

Tarifas mais baixas

De acordo com o ministro Casimiro, o governo federal está disposto a discutir o assunto com os órgãos envolvidos no processo, incluindo o Tribunal de Contas da União (TCU).

Já Cida defendeu que sejam realizadas audiências públicas para debater o assunto no Paraná, buscando um modelo de concessão que alie obras nas estradas com tarifas mais baixas.

Fonte: Gazeta do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui