Acidentes , mortos e feridos aumentam no feriado de 2020 comparado com 2018

O balanço dos acidentes, mortos e feridos, divulgado hoje pela Polícia Rodoviária Federal, em decorrência do Feriado da Independência, revela aumento brutal da gravidade dos acidentes.

Apesar do menor tráfego de veículos registrados nas estradas, em função da Covid-19 e crise econômica. Somente considerando os mortos, foram 97 vítimas fatais.

Este ano o feriado permitiu aos viajantes desfrutarem de três dias sem trabalho mas no ano passado foram apenas dois dias, já que 07 de setembro caiu num sábado.

Por isso, somente é possível comparar os dados de acidentes, mortos e feridos com 2018, quando o feriado caiu numa sexta-feira e permitiu, como neste último, três dias para pegar a estrada.

Aumento dos acidentes e vítimas nas rodovias federais

Em 2020 foram 933 acidentes contra os 820 de 2018, crescimento de 13,8%. Já os mortos passaram de 82 em 2018 para 97 em 2020, aumento de 18,2%. O crescimento do número  de feridos, comparando 2020 com 2018, foi de 6,3%, pois passou de 1.037 para 1.103 este ano.

Os números assustam, principalmente levando em consideração que a Covid-19 reduziu as atividades econômicas e o estímulo a viajar. Cidades como o Rio de Janeiro, que registravam ocupação na hotelaria de mais de 90% em 2018, este ano ficou em torno de 40%. Muitos municípios criaram barreiras sanitárias e desestimularam a chegada de visitantes.

Nas rodovias paulistas redução de acidentes e vítimas

Os dados divulgados pela Polícia Militar Rodoviária de São Paulo, responsável pelas rodovias estaduais, mostra que os números da PRF são ainda mais preocupantes, comparando o Balanço da Operação no mesmo período.

Comparando os anos de 2020 com 2018, as rodovias paulistas registraram redução de 21,25% dos acidentes, contra aumento de 13,80% nas rodovias federais, no feriado da Independência.

Já os mortos  nas rodovias paulistas caíram 22%, conforme o quadro a seguir, enquanto nas rodovias federais houve aumento de 18,20%. A diferença é menor no número de feridos, já que nas estaduais houve redução de 2,51% e nas federais aumento de 6,3%.

No feriado da Independência caíram acidentes, mortos e feridos nas rodovias paulistas comparando 2020 com 2018

Diferença na fiscalização é gritante entre federais e paulistas

Segundo a PRF no feriado foram flagrados 4.177 casos de ocupantes sem cinto de segurança ou cadeirinha, enquanto a Polícia Militar Rodoviária de São Paulo puniu 8.267 por não utilização de cinto de segurança e outros dispositivos de retenção.

A polícia paulista flagrou 26.031 condutores por dirigir em excesso de velocidade, já a PRF sequer menciona entre as cinco infrações mais flagradas.

Nas rodovias federais foram 5.728 ultrapassagens indevidas contra 2.357  nas rodovias paulistas. Diferença que pode ser atribuída a extensa malha duplicada no Estado de São Paulo, comparando com as rodovias federais.

Governo federal não fiscaliza com rigor velocidade nas rodovias

O aumento consistente dos acidentes, mortos e feridos nas rodovias federais, pode ser explicado pela política implantada desde abril de 2019 pelo Governo com desligamento de radares fixos e posteriormente retirada de radares portáteis (só voltaram a operar precariamente por decisão judicial em 23 de dezembro de 2019).

A média mensal de mortos aumentou 15%, conforme levantamento realizado pelo SOS Estradas e divulgado em janeiro deste ano. 

Já nas rodovias paulistas a fiscalização de velocidade é cada vez mais rigorosa, atendendo recomendação da ONU (Organização das Nações Unidas) que determina nas Metas Globais de Desempenho para a Segurança no Trânsito reduzir em 50% até 2030 a proporção de veículos dirigindo acima do limite de velocidade.

Portanto, nada indica, pela política adotada pelo Governo Federal até o momento, que essa meta será atingida. A tendência é justamente o contrário, aumento de velocidade pela impunidade e dos acidentes, mortos e feridos.

Assim como entre 2011 e 2020, a tendência é que mais uma vez o Brasil não cumpra as metas de segurança viária até 2030

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui