Postar imagens de infrações e crimes de trânsito na internet não poderá ser punido graças ao governo e PT. Foto: Divulgação

O Congresso Nacional, mais precisamente a Câmara de Deputados, votou pela manutenção de todos os vetos do presidente Jair Bolsonaro ao PL130/20 da deputada Christiane Yared cujo objetivo era punir, utilizando o código de trânsito, potenciais assassinos que postam vídeos nas mídias sociais cometendo infrações, crimes de trânsito e colocando vidas em risco. Governo e PT votaram juntos a favor da impunidade

Foram 174 votos pela manutenção dos vetos contra 134 que pretendiam a derrubada dos mesmos. Com isso, ficou garantida a impunidade dos potenciais assassinos do trânsito brasileiro, que inclusive postam vídeos mostrando quanto ganham. Alguns admitem receitas de plataformas como Google/YouTube de quase R$ 100 mil por mês. Quem disse que o crime não compensa?

Naturalmente, os representantes do Google/YouTube, Facebook/Instagram e seus pares, trabalharam para que os vetos fossem mantidos. Até porque, o projeto previa a responsabilidade desses meios de comunicação da era moderna na retirada do conteúdo do ar. Como ratazanas esses executivos do lobby da impunidade rastejam nos gabinetes dos parlamentares. Sua remuneração é garantida com a publicidade veiculada nos canais desses potenciais assassinos do trânsito.

Eles sabem o mal que fazem mas estão protegidos pelo anonimato, embora apareçam no linkedIn, meio utilizado para divulgar seus currículos no meio empresarial, com belas fotos e elogios dos que não sabem do trabalho sujo que realizam. Esses representantes de multinacionais que não respeitam as nossas leis, estão cientes que vidas são perdidas em função do conteúdo que promovem mas o que interessa a essa gente é cumprir a missão e buscar o seu prêmio no final do mês. Para isso procuram parlamentares que são como eles, têm os mesmos “valores morais” ou outros que não são capazes de raciocinar.

Como imagens falam mais que mil palavras, o vídeo a seguir mostra que tipo de condutor os vetos do presidente protege. Os vídeos incluem a imagem de crianças, estão disponíveis sem nenhuma restrição no YouTube e Instagram . Todos com centenas de milhares de visualizações. É importante entender que esses condutores não estão isolados, eles representam milhares de outros que se multiplicam com a impunidade garantida pelo veto presidencial e apoio dos deputados do governo. Todos os dias centenas de milhões de vídeos como esses são visualizados, até por crianças, e dezenas de milhares são postados.

Partido do Presidente e PT juntos na manutenção da impunidade

Acima de tudo, a questão não é partidária porque os infratores não informam em quem votam, principalmente quando colocam vidas em risco e até matam. E nesse sentido, os parlamentares do governo, concentrados no Partido Liberal, votaram pela manutenção dos vetos e impunidade dos potenciais assassinos do trânsito.  Curiosamente, contaram com o apoio total dos deputados do PT. Portanto, atuaram juntos na manutenção da impunidade. Sem esquecer a ajudar de outras agremiações e seus parlamentares ávidos por garantir a impunidade no trânsito.

O Estradas vai divulgar detalhadamente, ao longos dos próximos dias, os nomes dos parlamentares que apoiaram a manutenção dos vetos. Também vamos relembrar os eleitores próximo do dia do voto.

Naturalmente, vão aparecer especialistas de toda ordem para discutir nuances jurídicos do projeto e justificar os vetos. No direito sempre haverá contestação, pontos de vista diferentes.

Mas a pergunta que deve ser feita é: onde estavam esses experts quando o projeto estava sendo debatido? Onde estão suas contribuições? Onde estava a equipe da Senatran, aqueles que dizem: “Juntos, Salvamos Vidas”?

Falar depois é fácil, principalmente quando há relações de amizade, parcerias  e até função pública no governo. São os especialistas em dizer as razões para dar errado e que não querem bater de frente com quem está no Poder. Vivem sempre em torno das “autoridades” ou delas dependem.

Alguns deputados que já merecem ser citados

Em primeiro lugar, é justo valorizar o enorme esforço da deputada Christiane Yared, que conhece a dor da perda de um filho e o drama da impunidade no trânsito. É um raro exemplo de luta no combate a violência no trânsito. Também merece menção a deputada Soraya Santos do PL/RJ, que também perdeu um filho no trânsito, fazendo um apelo para que o governo, o qual ela apoia, mudasse de posição ou pelo menos o assunto fosse debatido com mais responsabilidade.

Ao mesmo tempo, analisando os votos, verificamos que Bia Kicis, defensora ferrenha do governo, votou da mesma forma que Arlindo Chinaglia, conhecido líder do PT. Eduardo Bolsonaro e Maria do Rosário do PT, esqueceram o passado e disseram juntos o sim a impunidade. Gleisi Hofman do PT e  o polêmico Daniel Silveira poderiam sair do plenário juntos para celebrar a vitória do governo.

O deputado federal Antônio Carlos Nicoletti, ex-policial rodoviário federal, não teve cerimônia em apoiar os vetos do presidente, apesar de saber que essas práticas desmoralizam os seus colegas de farda. Seu voto foi igual ao do cantor e deputado nas horas vagas, Igor Kannário, conhecido por ser flagrado várias vezes dirigindo sem habilitação. Naturalmente com direito a vídeo nas mídias sociais.

Ambos podem sair para jantar com o sargento Fahur, conhecido, antes de ser eleito, por sua dura atuação nas rodovias paranaenses . Mas Brasília amolece os corações e o sargento votou como Kannário. Há  quem diga que até já está escutando os hits do seu colega baiano.

Essa é a realidade da política brasileira quanto a segurança viária e preservação de vidas no trânsito. A voz calada que sobra é das vítimas e seus familiares. Algumas delas jamais serão ouvidas e outras que serão silenciadas para sempre, ao longo dos próximos anos, em decorrência das mortes que vão ocorrer.

Para quem tiver interesse, mais de 20 entidades enviaram manifesto sobre a importância da derrubada dos vetos, que pode ser lido clicando aqui. Inclusive, fundamentando porque não havia justificativa dos mesmos. A impunidade venceu e agora os potenciais assassinos do trânsito tem pista livre e ainda podem falar que o Congresso os protege.

LISTA DOS DEPUTADOS E SEUS VOTOS

Importante lembrar que os senadores não votaram porque a Câmara manteve os vetos. Portanto, com raras exceções é difícil saber qual seria o voto. Muitos deputados não aparecem na votação oficial. Algumas ausências serão abordadas posteriormente.

Dentre elas, a de Abou Anni, que comanda a Frente Parlamentar em Defesa da Educação no Trânsito e Formação dos Condutores, que não votou para salvar um projeto que tenta combater a deseducação e ainda abandonou sua colega Christiane Yared, a quem convidou para fazer parte da Frente como sua vice-presidente. 

Lista dos votos da Impunidade nas Mídias Sociais. Caso o deputado tenha votado SIM é para manter a impunidade. NÃO é para manter o texto original aprovado por 443 votos contra 14, na mesma Câmara Federal, que previa punir os potenciais assassinos do trânsito. Nada como eleições próximas para mudar voto de deputado.

Em nome das vítimas de trânsito e de todos que atuam em prol da segurança viária, pedimos que nas próximas eleições relembrem desses votos. Eles dizem muito sobre os parlamentares. Fica fácil identificar quem defende a impunidade. Mas cuidado, mesmo entre os que votaram NÃO tem figuras complicadas. O SIM já ajuda a eliminar muita gente, o NÃO exige atenção maior. Que Deus nos proteja dessa gente.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui