COLISÃO FRONTAL: Carro bate de frente com caminhão e três pessoas da mesma família morrem no local. Foto: Amanda Menezes

De acordo com o SOS Estradas, governo está falhando no combate à violência no trânsito nas rodovias federais, principalmente depois que deixou de fiscalizar os abusos de velocidade

Números levantados pelo SOS Estradas, com base na apuração parcial da Polícia Rodoviária Federal (PRF), indicam crescimento no total de ocorrências, em relação aos anos de 2019, 2018 e 2017.

Foram 1.157 registros de acidentes em 2019; para 1.213 neste ano de 2020. Já o número de feridos saltou de 1.464 no ano passado, para 1.574 neste ano. E as mortes também aumentaram nas estradas brasileiras, indo de 83, em 2019, para 91 este ano.

Isso porque a fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) concentrou seus esforços no combate à embriaguez ao volante, no uso do cinto de segurança e nas ultrapassagens proibidas. Entretanto, uma das principais causas, de acidentes com mortalidade nas estradas não foi fiscalizado à altura: o abuso no limite de velocidade. A corporação sequer informa quantas multas foram aplicadas por excesso de velocidade.

De acordo com os dados da PRF, divulgados na tarde desta quinta-feira (27), houve, no período entre zero hora de sexta-feira (21) e 24h de quarta-feira de Cinzas (26), 3.260 autuações por embriaguez ao volante – aumento de 64% em relação a 2019 -, 7.608 multas pelo não uso do cinto de segurança – crescimento de 43% comparado ao ano anterior -; e 10.899 flagrantes de ultrapassagens proibidas – o que representa aumento de 24% em relação ao carnaval de 2019 -; e 434 autuações por uso do celular ao volante, 57% superior ao ano passado.

Os dados abaixo mostram que o governo está falhando no combate à violência no trânsito nas rodovias federais, principalmente depois que passou a não combater os abusos de velocidade. Afinal, aumentou a fiscalização no combate a ultrapassagens em locais proibidos, embriaguez ao volante, uso do celular na direção e os resultados pioraram.

É importante lembrar que no carnaval de 2019 a PRF utilizava os radares portáteis normalmente e os radares fixos também operavam. Atualmente a maior parte dos fixos não funciona e os portáteis estão sendo usados precariamente. Muitos sequer foram aferidos e estão fora de operação.

ANO MORTOS FERIDOS
2017 150 1792
2018 103 1569
2019 83 1464
2020 91 1574
Fonte: PRF

Em 2019 aumentou o número de mortos e feridos nas rodovias federais

TRAGÉDIAS DE NORTE A SUL: Três pessoas morreram em um grave acidente na BR-373, em Chopinzinho, no Paraná, na quarta-feira de Natal, de acordo com os Bombeiros.

No primeiro trimestre de 2019, houve queda no números de mortos e feridos nas rodovias federais, confirmando a tendência dos anos anteriores. A situação mudou em abril de 2019 quando o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, determinou o desligamento dos radares fixos. A medida foi cumprida parcialmente já que decisão da Justiça Federal impediu que todos fossem desligados, como queria o presidente. Mesmo assim, cerca de 2.400 radares deixaram de operar nas rodovias federais.

Em 16 de agosto de 2019, novamente uma medida sem fundamento técnico, por meio de um simples despacho da Presidência, determinou o recolhimento de todos os radares portáteis utilizados pela PRF para flagrar os motoristas que andam em excesso de velocidade. A medida vigorou até 23 de dezembro de 2019, quando novamente por decisão judicial, o governo foi obrigado a entregar os radares para os policiais rodoviários federais. Nestes mais de 4 meses nenhum veículo foi multado por excesso de velocidade nos mais de 65 mil km de rodovias federais pavimentados. Foram centenas de milhões de veículos trafegando e nenhuma multa em nenhum estado da federação.

Como consequência, a média mensal de mortos que foi de 398 nos três primeiros meses do ano, passou para 460. Esta política irresponsável e sem nenhum fundamento técnico, contribuiu para que , pela primeira vez em 8 anos o número de mortos e feridos aumentasse. Os dados mais recentes de 2017 até 2019 mostram a gravidade da situação.

      TOTAL ANO               MORTOS                FERIDOS
2017 6243 84075
2018 5271 76647
2019 5332 79051

O SOS Estradas solicitou à PRF o número de multas aplicadas por excesso de velocidade desde 23 de dezembro, quando a Justiça Federal determinou à PRF que voltasse a operar com os radares para flagrar os infratores, mas até a publicação desta matéria a corporação não informou os números, ainda que solicitados por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

Enquanto isso, a Polícia Militar Rodoviária (PMRv) do Estado de São Paulo registrou o menor número de mortos nas rodovias estaduais em 20 anos. Sendo que a corporação é responsável por 22 mil quilômetros de rodovias, equivalente a 1/3 da malha rodoviária federal.

Nas rodovias estaduais de Santa Catarina, pelo segundo ano consecutivo, não ocorreu nenhuma morte durante o período de carnaval; e são quatro mil quilômetros de extensão fiscalizadas pela Polícia Militar Rodoviária. Já em pouco mais de dois mil quilômetros da malha federal, ocorreram 14 mortes no período. Ainda que as rodovias federais tenham mais movimento, elas também são as com melhores condições de conservação e com mais trechos duplicados e concedidos. Portanto, a diferença de mortos é injustificável.

Enquanto o governo federal entrou na contramão, os estados vão reduzindo as mortes e os feridos nas rodovias estaduais. Não há sinal de mudança na política do governo federal. Portanto, a tendência é de aumento brutal no número de vítimas nas rodovias federais em 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui