INDIGNADO: Em entrevista, após o fim da sessão plenária dessa quarta-feira (14), o primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB), criticou o fim do desconto na cobrança das tarifas de pedágio da concessionária CCR Rodonorte, que voltou a vigorar na quarta-feira (14). Foto: Divulgação

De acordo com o parlamentar, oa nova concessão no Estado não permitirá abusos por parte das empresas de pedágio

Em entrevista, após o fim da sessão plenária desta quarta-feira (14), o primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB), criticou o fim do desconto na cobrança das tarifas de pedágio da concessionária CCR Rodonorte, que voltou a vigorar na quarta-feira (14).

A redução nos preços havia sido definida por um acordo de leniência (uma espécie de delação premiada das empresas) firmado entre a concessionária e o Ministério Público Federal (MPF) em abril de 2019, quando houve uma redução de 30% nas tarifas.

No acordo, a concessionária reconheceu o pagamento de propinas para alterações em contratos desde o ano 2000. Porém, a empresa alega que o retorno se deve ao reajuste anual aprovado no fim do ano passado, e acresceu mais 10% na tarifa, o que deixou o parlamentar ainda mais indignado.

A Rodonorte administra 487 quilômetros de rodovias no estado. O que inclui trechos das rodovias BR-376, BR-277 e PR-151. Na época do acordo de leniência, a força-tarefa da Lava Jato fechou acordo de R$ 750 milhões com a concessionária, uma das que mantêm contratos com o Governo desde 1998. De acordo com Romanelli, o novo modelo que o Estado deve firmar para as novas concessões, não permitirá abusos por parte das empresas de pedágio.

Fonte: Assessoria de Comunicação da ALEP

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui