O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) conseguiu reduzir em 75% o número de acidentes na região de Londrina, nos cruzamentos de vias vicinais com as rodovias estaduais. O sistema testado ao longo do ano passado será apresentado por engenheiros de todo o Brasil no 18º Encontro Nacional de Conservação Rodoviária e 44º Reunião Anual de Pavimentação, que acontecerá em agosto em Foz do Iguaçu.

O novo sistema funciona com faixas onduladas sobre o asfalto, que produzem efeito sonoro-vibratório a dezenas de metros antes dos cruzamentos. Atualmente, o sistema já foi implantado em 30 trechos de rodovias, na região Norte do Paraná.

Sistema reduz aciderntes no Paraná

Segundo o engenheiro responsável, Alex Alves, este sistema é barato e produz efeitos significativos na redução de acidentes. “Nos primeiros meses de testes, houve uma queda de 75% no número de acidentes, índice que se manteve ao longo de 2014”, disse. A meta do DER é buscar expandir para outras rodovias do Estado esta metodologia.

Alves explica que usou as informações da Polícia Rodoviária Estadual para definir onde seria usado o novo sistema. Foram escolhidos os pontos com maior número de acidentes, onde há intersecções com as rodovias estaduais. Os testes foram feitos nas rodovias PR-340, PR-450, PR-170, PR-445, PR-160 e a PR-092.

As equipes do DER-PR instalaram linhas em altos-relevos executados com tinta plástica a frio bicomponente, com aproximadamente um centímetro de altura e 5 cm de largura. Estas linhas formavam pequenas ondulações, necessárias para trepidar a roda dos veículos alertando o motorista. Para facilitar a visualização destas “micro-lombadas”, as tintas são reflexivas, o que facilita a sua visualização de noite ou em dias de chuva.

Responsável pela pesquisa, Alex Alves conta que também testou outro modelo para comprovar a eficácia do sistema sonoro-vibratório. Em outras rodovias, pintou apenas faixas para redução de velocidade, sem o efeito sonoro-vibratório. E o resultado foi menos eficaz com a redução de apenas 14% no número de acidentes.

Por ser um sistema barato, cujo trabalho pode ser feito pelas equipes próprias do DER, Alex Alves acredita que o modelo pode ser replicado em outros lugares do Brasil. Por isso, o resultado deste teste será um dos temas do Enacor/RAPv, que será apresentando para especialistas do setor rodoviário do Brasil e também acadêmicos da área de engenharia.

Os dois encontros acontecem entre os dias 18 e 21 de agosto, em Foz do Iguaçu. E os interessados podem se inscrever no site www.rapvenacor2015.com.br/.

Fonte: DER-PR

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui