A Polícia Militar Rodoviária estará atenta à fiscalização de veículos para coibir os abusos de velocidade e de bebidas alcoólicas. Foto: Divulgação

Número de acidentes provocou a morte de 13 pessoas e feriu gravemente outras 25. Concurso inédito vai premiar ideias simples, mas eficazes para reduzir mortes

A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) do Estado de São Paulo registrou, neste fim de semana, 307 acidentes, sendo 112 com vítimas. O balanço mostrou que 13 pessoas morreram; 25 ficaram feridas gravemente e 127 pessoas tiveram ferimentos de natureza leve.

Mesmo tendo rodovias consideradas as melhores do Brasil, o estado de São Paulo é castigado com o crescente número de acidentes rodoviários. A perda para o estado e para o país tem sido grande. Além das vidas perdidas, o prejuízo por conta de despesas médicas e hospitalares é considerável.

Segundo dados de um levantamento realizado pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro, da Escola Nacional de Seguros, a perda da capacidade produtiva é decorrente das 19,3 mil mortes e dos 20 mil casos de invalidez permanente causados por acidentes de trânsito. A maioria dos acidentados está em fase economicamente ativa, entre 18 anos e 65 anos, e é do sexo masculino (75%).

Acidente na SP-294, em Marília, no Natal, matou Guto Schiavon (destaque), além de outras duas pessoas. Foto: Ana Levorato-TV Tem

Seguradora Líder

De acordo com informações da Seguradora líder, responsável pelo seguro DPVAT, os casos de invalidez permanente representaram a maior parte das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT no período entre janeiro e outubro de 2018, que somam 184.397, cerca de 69% do total de pagamentos.

Com o mesmo comportamento que as indenizações pagas, os casos de invalidez permanente representam a maioria das indenizações solicitadas ao Seguro DPVAT, 77% dos pedidos.

Já, os casos de morte registraram redução de 6%, em relação ao mesmo período de 2017, e sua participação foi menor na quantidade de indenizações pagas em relação às demais coberturas (12%). Os pagamentos das indenizações referem-se às ocorrências no período e em anos anteriores, observado o prazo prescricional de três anos para solicitar o benefício do seguro DPVAT.

ONU

A Organização das Nações Unidas (ONU) previu, em um acordo, que os países se concentrassem em reduzir 50% no número de vítimas de acidentes de trânsito em 10 anos, contados a partir de 2011. Desde então, o número de mortes no trânsito brasileiro está diminuindo. No entanto, um estudo do Ministério da Saúde divulgado recentemente, mostra que os índices ainda precisam melhorar, e muito!

O Brasil ocupa o quinto lugar no ranking dos países mais violentos no trânsito. Juntas, as dez nações com mais mortes no trânsito são responsáveis por 62% das 1,2 milhão vidas perdidas por acidentes no mundo. Os acidentes de trânsito resultam em mais de 50 milhões de feridos a cada ano.

Mete proposta pela ONU é que o Brasil não ultrapasse o número de 19 mil mortes por ano até 2020. Divulgação

Meta

A meta do Brasil, até 2020, é não ultrapassar o número de 19 mil vítimas fatais por ano. Em 2016, último levantamento do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, registrou 37.345 mortes no trânsito. Para o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, é alarmante o número de pessoas que perdem suas vidas nas estradas brasileiras. “É como se 12 aviões caíssem por dia no Brasil com mortos e feridos, sendo que a maior parte desses mortos e feridos graves é decorrente de acidentes nas rodovias”, alerta Rizzotto.

Ideias simples, mas eficazes

Pensando nesse triste cenário, o SOS Estradas – Programa de Segurança nas Estradas, e a Trânsito Amigo, entidade de vítimas de trânsito, estão promovendo um concurso inédito que traz como mote o slogan “Sua ideia pode salvar vidas nas estradas, inclusive a sua“, no qual o objetivo é estimular os usuários de rodovias e os motoristas profissionais a apresentarem sugestões simples que possam salvar vidas nas estradas brasileiras.

Os vencedores receberão R$ 15.000,00, divididos em dois prêmios de R$ 7.500,00, em duas categorias diferentes. “Acreditamos nas ideias simples e consideramos fundamental criar um canal para que as pessoas comuns possam participar com sugestões para reduzir os acidentes nas rodovias e torná-las mais seguras”, explica Rizzotto.

Fonte: Estradas com Polícia Militar Rodoviária de São Paulo

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui