PERIGO: Transmissão ao vivo do Instituto Invepar vai abordar a questão das linhas de cerol e suas consequências para os motociclistas. Foto: Divulgação

De acordo com o Instituto Invepar, debate, via Facebook, faz parte da campanha Equilíbrio & Respeito

Nesta segunda-feira (27 de julho), data em que se comemora o Dia Nacional do Motociclista, o Instituto Invepar realiza um bate-papo com representantes da campanha Cerol Mata.

De acordo com a empresa, a transmissão ao vivo será pelo Facebook do Instituto, e contará com a presença de Leo Ferreira e Oleglier de Andrade, fundadores do movimento, além de Kelly da Silva, mãe de vítima de acidente envolvendo linha com cerol. Eles falarão sobre medidas para prevenção de acidentes e sobre os riscos das linhas cortantes de pipa, que podem causar ferimentos fatais nos motociclistas.

Ainda de acordo com o Instituto, o cerol das linhas de pipa, também conhecidas como linha chilena, é feito com uma mistura que inclui vidro moído, com intuito de cortar a linha de outras pipas. Apesar de a aparente inocência da brincadeira, este tipo de linha pode causar cortes profundos quando atingem motociclistas em alta velocidade. Sua utilização e comercialização são proibidas em vários estados do país.

Como soltar pipas

Entre os assuntos que serão abordados na live estão dicas de como soltar pipas de forma segura; quais são os riscos da linha cortante; qual a legislação e como é feita a fiscalização para coibir o uso, além das penalidades para quem desrespeitar as regras. Durante a transmissão, o público poderá fazer perguntas aos participantes.

“A conscientização é muito importante, tanto para quem solta pipa como para os motociclistas, que devem usar equipamento de proteção. E com a pandemia e necessidade de isolamento, o risco de acidentes com linhas cortantes aumenta, tendo em vista a maior quantidade de crianças e adultos soltando pipas, principalmente no entorno de rodovias”, afirma Giovanna Curty, gerente de Comunicação da Invepar e que irá mediar o encontro.

O perigo não está presente somente no uso das linhas cortantes. Independente da utilização de cerol, a prática de soltar pipa exige alguns cuidados a fim de se evitar acidentes, tendo em vista o risco, por exemplo, de atropelamentos na tentativa de pegar pipas cortadas, quedas de lajes de casa ou mesmo a possibilidade da pipa atingir a rede elétrica.

Segundo o Instituto, a iniciativa reforça as dicas de segurança para os motociclistas, como, por exemplo, manter distância segura dos veículos, utilizar roupas e equipamentos apropriados, além de usar capacete, inclusive para o carona, e a antena antilinha, item fundamental contra as linhas com cerol. Estudos apontam que os riscos de morte em acidentes de motos são 20 vezes maiores que colisões de carros. E este número sobe para 60 vezes se a pessoa não estiver usando capacete. Em rodovias do estado do Rio de Janeiro, 70% das mortes de motociclistas são por traumatismo craniano.

Equilíbrio & Respeito

A transmissão faz parte das ações da campanha Equilíbrio & Respeito, com ações educativas voltadas para segurança na mobilidade urbana, desenvolvidas pelas empresas do grupo Invepar em todo o país e pelo Instituto Invepar. Em junho, foram distribuídas e instaladas gratuitamente mil antenas corta-pipa e mil máscaras de pano, para motociclistas, na Linha Amarela, administrada pela concessionária Lamsa, no Rio de Janeiro. Além da Lamsa, a campanha é desenvolvida também nas seguintes rodovias controladas pela Invepar: Via 040 (BR-040, Juiz de Fora-Brasília) e CLN (BA-099).

Idealizada por Leo Ferreira em 2014, a campanha Cerol Mata busca discutir soluções para acabar com o uso e a venda dos produtos na cidade do Rio de Janeiro, onde foi criada, e em outras cidades do país, com a integração de movimentos locais. A mobilização dos integrantes já conseguiu influenciar na aprovação de leis estaduais e municipais, no Rio, contra compra, uso, porte ou posse dos materiais.

Segundo dados de associações e movimentos de motociclistas, estima-se que atualmente no Brasil ocorram mais de 500 acidentes por ano envolvendo linhas cortantes, sendo que 50% causam ferimentos graves, e 25%, fatais. Mais informações do Instituto Invepar em www.institutoinvepar.org.br.

Serviço:

Data: 27 de julho, segunda-feira
Horário: dasd 18h às 19h30
Tema: Prevenção de Acidentes: os riscos das linhas cortantes
Canal: Facebook do Instituto Invepar – facebook.com/institutoinvepar2018

Fonte: Assessoria de imprensa da Lamsa

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui