PONTE: Equipes do Corpo de Bombeiros encontraram o corpo do jovem que caiu no Rio Grande, na BR-265, em Itutinga, na quarta (23). Foto: Divulgação

De acordo com o Corpo de Bombeiros (CB), buscas foram feitas desde quarta-feira (23), dia em que aconteceu o acidente em Itutinga (MG); trecho registrou outras ocorrências

O corpo do jovem, de 25 anos, que caiu com o carro no Rio Grande, na rodovia BR-265, em Itutinga (MG), foi encontrado na tarde de sábado (26), pelas equipes do Corpo de Bombeiros, que realizava buscas, desde quarta-feira (23), data em que o acidente ocorreu. Durante a procura, outras ocorrências foram registradas no mesmo trecho.

De acordo com os bombeiros, o corpo de Mateus Vitor de Souza, natural de Barbacena, foi removido do local pela funerária e posteriormente encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Lavras (MG).

Mateus conduzia o carro pelo trecho e quando iria fazer a curva, perdeu o controle de direção do veículo e caiu no rio.

Outras ocorrências

No período de buscas pelo corpo, pelo menos sete acidentes ocorreram na ponte do Rio Grande na BR-265 em Itutinga (MG) em um intervalo de 24 horas, sendo que quatro veículos caíram no rio. A estimativa é do grupo ‘Somos todos vítimas da BR-265’, criado para alertar os motoristas.

Havia um radar no trecho, mas o mesmo foi retirado no início de agosto. Desde a retirada até dezembro, o grupo registrou 15 acidentes nos locais onde os radares foram removidos. No mesmo período em 2019, ocorreu apenas um acidente na ponte do Rio Grande e nenhum foi registrado em outros trechos analisados, onde também existiam radares.

“Acreditamos que todos os acidentes estão relacionados à retirada do radar. Faço esse percurso de três a cinco vezes na semana. A velocidade dos motoristas aumentou. Antes, quando nós tínhamos o radar, havia a restrição de 60 Km/h e a gente observava que as pessoas andavam com mais cautela e hoje isso não acontece mais. A ponte já não tem praticamente mureta de proteção, ela está com praticamente 50%, é um risco para todos nós”, disse a professora universitária Kelly Aparecida Torres, que faz parte do grupo.

O ‘Somos todos vítimas da BR-265’ busca, agora, sinalizar por conta própria o trecho da rodovia para evitar que a ponta faça novas vítimas.

Com informações do Portal G1

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui