Rafael Pedro Santana, de 25 anos, estava internado em Montes Claros, na mesma região, desde o último dia 16; com a morte dele, o número de óbitos na ocorrência pula para nove

Será sepultado, na tarde deste sábado, às 17h, na zona rural de Rio Pardo de Minas, o corpo do sargento da Polícia Militar Rafael Pedro Santana, de 25 anos, que morreu ontem à noite na Santa Casa de Montes Claros. Rafael é uma das vítimas do grave acidente ocorrido no último dia 16 no km 474, da BR-251, entre Francisco Sá e Salinas, no Norte do estado. A mãe dele, Maria Aparecida Santana, 59, também perdeu a vida na ocorrência.

O soldado teve 95% do corpo queimado na batida e servia a PM no município de Mato Verde, também no Norte de Minas. Ele tinha cinco anos de serviços prestados à corporação. Com a morte do sargento, saltam para nove, o número de pessoas mortas no acidente. Além dos óbitos, 53 pessoas ficaram feridas na sequência de batidas com 11 veículos envolvidos.

Das nove pessoas mortas no acidente, até aqui, sete são de Rio Pardo de Minas, também na Região Norte. Ainda morreram no acidente a estudante Natália Araújo de Almeida, natural de Salinas e que era aluna do curso de mestrado em Biotecnologia da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes); e Genildo Barbosa, de 32, que dirigia um carro da prefeitura de Josenópolis, também envolvido no engavetamento. Ele teve o corpo carbonizado.

No caso de Natália, a família vive a angústia de ainda não ter sepultado o corpo. Totalmente carbonizado, o corpo foi encaminhado a Belo Horizonte, onde passa por testes de DNA para comprovar a identidade de Natália.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui