Portaria assinada pela Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo) em outubro do ano passado para regulamentar o transporte de cargas na pista Sul da Via Anchieta – sentido Litoral – reduziu em cerca de 20 minutos o tempo médio de viagem para automóveis no pico da tarde. A avaliação é do diretor superintendente da Ecovias, José Carlos Cassaniga.

O texto determina proibição da circulação de caminhões na faixa da esquerda em todo o trecho de serra da rodovia – do km 40 ao km 55 – diariamente, entre 18h e 20h. Veículos de carga não podem trocar de faixa mesmo que para ultrapassagens. Cinco câmeras foram espalhadas para flagrar motoristas infratores.

“Essa medida proporciona disciplina diferenciada de uso, com faixa exclusiva para caminhões e outra para ônibus e demais veículos. Isso gera fluidez bastante adequada”, comenta. A mesma portaria, assinada após estudos feitos pela concessionária, libera os coletivos para circular pela esquerda, o que era proibido. O diretor afirma que, antes das mudanças, o tempo médio de viagem para carros entre o planalto e a cidade de Santos era de uma hora e quinze minutos.

Segundo Cassaniga, outro fator que melhorou a fluidez no Sistema Anchieta-Imigrantes foi a criação de plano de gestão integrada entre a Ecovias, a Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo) – empresa que administra o Porto de Santos –, Polícia Militar Rodoviária e as prefeituras da Baixada Santista. Uma das mudanças, implementada em dezembro, foi a obrigatoriedade de agendamento para descarga de caminhões nos terminais marítimos. “Melhora a distribuição do fluxo durante as 24 horas do dia”, explica. Cassaniga salienta que o monitoramento por imagens feito pela concessionária é utilizado pelos demais órgãos gestores. “A ideia é que esses materiais sejam utilizados por todos e permita, em caso de contingência, disparar mais brevemente medidas corretivas.”

Como consequência positiva das decisões tomadas, Cassaniga aponta a evolução na movimentação de cargas do Porto de Santos. No ano passado, passaram pelos terminais 114 milhões de toneladas de produtos para importação e exportação. O número é 9,4% superior ao registrado em 2012 e 4,58% acima do que havia sido projetado pela Codesp. “Isso prova que o problema dos congestionamentos não é só da rodovia. É preciso operar bem o conjunto, com acessos e polos geradores de tráfego.”

Ecovias planeja aplicativo para celular

A concessionária Ecovias planeja disponibilizar ainda neste semestre aplicativo para smartphones com a situação em tempo real das rodovias que compõem o Sistema Anchieta-Imigrantes. Atualmente, já é possível visualizar as condições das estradas pelo site da empresa ou pela rede social Twitter.

Segundo o diretor superintendente da concessionária, José Carlos Cassaniga, em média, os dispositivos de comunicação da empresa registram aproximadamente 200 mil acessos ao mês. Em épocas de movimentação intensa, como feriados prolongados – especialmente os de fim de ano – o site chega a marcar 2 milhões de visualizações. Apesar da tecnologia, Cassaniga garante que ainda é alta a demanda de motoristas que utilizam o telefone para obter informações sobre as condições do sistema.

Para obter as imagens que servem como base para orientação dos usuários, o Centro de Controle Operacional da Ecovias conta com 146 câmeras espalhadas pelas rodovias Anchieta, Imigrantes, Padre Manoel da Nóbrega e Cônego Domênico Rangoni, além das interligações Baixada e Planalto. As cenas captadas também servem de alerta para envio de equipes de socorro em caso de emergência. Policiais militares também dispõem dos vídeos para flagrar irregularidades e aplicar autuações a infratores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui