MELHORIAS: O governo do Paraná e representantes da sociedade civil de Mandaguari discutem a possível implantação de uma trincheira e dois viadutos com o objetivo de melhorar os acessos da rodovia PR-444, que corta a cidade do Noroeste do Estado. Foto: Divulgação/Ilustrativa

De acordo com a proposta, seria implantada uma trincheira e dois viadutos para melhorar os acessos da rodovia, que corta a cidade do Noroeste do Paraná

O governo do Paraná e representantes da sociedade civil de Mandaguari discutem a possível implantação de uma trincheira e dois viadutos com o objetivo de melhorar os acessos da rodovia PR-444, que corta a cidade do Noroeste do Estado.

De acordo com a proposta, o projeto executivo deve ser elaborado e financiado pela sociedade civil, e o Governo do Estado executaria as intervenções. A implantação das Obras de Arte Especiais (OAEs) já foi debatida anteriormente com a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística e com o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR).

Segundo o DER-PR, empresários ligados à Associação Comercial e Empresarial de Mandaguari (Aceman), comprometeram-se a financiar o projeto executivo, que deve custar R$ 450 mil e vai detalhar as especificidades da obra, incluindo a previsão de valor e do prazo de execução.

As travessias, ressaltou a prefeita, são essenciais para ligar os dois lados do município, ampliar a expansão industrial na cidade e trazer mais segurança para quem trafega ou precisa atravessar a rodovia. “O município é praticamente dividido pela rodovia, e esses acessos podem fazer a ligação com a área rural”, afirmou Ivonéia.

“Além de facilitar para as empresas instaladas na cidade, que têm dificuldade de atravessar de um lado a outro da rodovia, também vai reduzir acidentes e melhorar o transporte escolar”, destacou a prefeita. “Queremos o apoio do Governo do Estado para essa obra que vai mudar a realidade do município. Mandaguari cresceu muito, temos grandes indústrias que querem se expandir. Hoje é um perigo para os funcionários dessas empresas atravessarem de um lado para outro da rodovia”.

O secretário estadual da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, explicou que há um prazo de 90 dias para elaboração do projeto executivo, para então o governo poder atender o pedido do município. “Sociedade e município se uniram e o governador autorizou que eles executem o projeto executivo. Com ele pronto e conforme o valor que será determinado nessa fase, o Estado poderá atender essa demanda. Vamos buscar uma solução para a segurança viária e logística para Mandaguari, que aguarda essas obras há muitos anos”, destacou.

Pontos críticos

As obras devem resolver alguns gargalos da PR-444, que liga Marialva a Arapongas e corta praticamente a cidade inteira de Mandaguari. O principal ponto crítico do trecho é o cruzamento que dá acesso à Estrada Alegre, uma das mais movimentadas do município. Reivindicação antiga da população, a construção de uma trincheira nesse acesso chegou a ser incluída no pacote de obras da concessionária que administra a rodovia, mas acabou retirada pela empresa.

O segundo acesso está localizado na passagem da Estrada Vitorinha do Meio, que por causa da grande expansão industrial, se faz necessária a construção de uma rotatória e avenida marginal. O terceiro ponto que necessita de intervenção é a sequência da Estrada Spoladore, o principal acesso ao polo cafeeiro do município.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui