Veículo que seguia de Alagoas para SP tombou no dia 2 de setembro e deixou dezenas de feridos. MGTV visitou o trecho conhecido como ‘curva da morte’

Quase um ano após um acidente de ônibus deixar seis mortos e 40 feridos na BR-146, em Serra do Salitre, Alto Paranaíba, a equipe do MGTV voltou ao local, conhecido como “curva da morte”, para saber se mudanças ocorreram na pista.

No dia 2 de setembro de 2017, o ônibus de turismo, que seguia de Alagoas com destino a São Paulo (SP), caiu em uma vala da rodovia. Na época, sobreviventes relataram que o motorista perdeu o controle da direção ao sair de uma curva no km 87 da rodovia, o que fez com que o veículo tombasse.

O motorista Fernando Pereira Maciel acompanhou a equipe do MGTV pela rodovia e contou ter passado pelo trecho no dia do acidente com o ônibus de turismo. Na ocasião, alguns passageiros ficaram presos às ferragens e necessitaram da ajuda de moradores para socorrer às vítimas.

Três vítimas por acidente

O trecho fica na região do Distrito de Catira e se estende por cerca de dois quilômetros. Desde 2015, o local teve 26 acidentes, com 74 feridos e 12 mortes, segundo dados da Polícia Rodoviária Estadual, responsável pela fiscalização.

Os dados mostram que esses números equivalem a uma média de três vítimas, entre mortos e feridos, a cada acidente no trecho. Apenas em 2018, já foram duas mortes.

O MGTV apurou que engenheiros recomendam uma mudança no traçado da curva e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou que obras estão previstas para começar em setembro deste ano com o objetivo de promover mais segurança na pista.

“Em todos os acidentes, houve um tombamento de veículo. Por serem caminhões pesados, a carga dobra em cima da cabine do veículo, que leva à morte dos ocupantes”, contou o tenente da Polícia Rodoviária Estadual, Paulo César Ferreira Chagas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui