PRECAUÇÃO: O deputado estadual do Paraná, Claudio Romanelli, afirmou, nessa terça-feira (28), que a recontagem de tráfego nas rodovias que farão parte do novo programa de concessões é fundamental para estabelecer as novas tarifas de pedágio. Foto: Divulgação/DER-PR

De acordo com Luiz Claudio Romanelli, o Tribunal de Contas da União (TCU) já foi alertado sobre a correção dos números apresentados pela ANTT

O deputado Luiz Claudio Romanelli afirmou, nessa terça-feira (28) durante sessão da Assembleia Legislativa, que a recontagem de tráfego nas rodovias que farão parte do novo programa de concessões é fundamental para estabelecer os parâmetros das novas tarifas de pedágio. Para ele, o trânsito de todos os trechos precisa ser revisto.

Segundo o deputado, o Tribunal de Contas da União (TCU), que avalia o processo, já foi alertado pela Frente Parlamentar sobre o Pedágio de que os números apresentados pelo Ministério da Infraestrutura e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para formatar a nova modelagem da concessão precisam ser corrigidos.

“Estivemos no TCU e esta questão do tráfego foi um dos alertas feitos pela Frente Parlamentar da Assembleia Legislativa”, disse. “O fluxo é um item fundamental para estabelecer o preço do pedágio e a nossa convicção é de os números são muito maiores do que os atualmente apresentados”, alertou ele.

O deputado reafirmou que um dos trechos que precisam ter prioridade de revisão de fluxo é da BR-376, entre Paranavaí e Nova Londrina, onde não está prevista duplicação em razão do baixo volume de tráfego apurado pelos órgãos federais. “Esta recontagem atende ao interesse público”, disse Romanelli

Segundo Demerval Silvestre, presidente da Sociedade Civil Organizada do Paraná (Socipar), a entidade promoveu uma recontagem no trecho da BR-376, no Noroeste, e apurou uma diferença de mais de 50% em relação aos números que constam do processo de concessão.

A apuração federal, feita em 2019, apontou a circulação de 10,7 mil eixos entre Paranavaí e Nova Londrina, enquanto a pesquisa da Socipar, realizada no ano passado, apurou o trânsito de 23,6 mil eixos. “As lideranças do Noroeste do Paraná não aceitam praça de pedágio sem a duplicação”, observou ele. Os órgãos federais responsáveis pela concessão projetaram uma praça na cidade de Guairaçá.

Em manifestação aos deputados, Demerval Silvestre também pediu que a Assembleia Legislativa continue apoiando a iniciativa de construção de uma nova ponte entre o Paraná e Mato Grosso do Sul, ligando os municípios de São Pedro do Paraná (PR) e Porto São João (MS).

Fonte: Ascom da Assembleia Legislativa do Paraná

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui