APOIO ÀS MULHERES: Os painéis eletrônicos de mensagens instalados nas rodovias administradas pela Entrevias, no estado de São Paulo, estão exibindo neste mês de novembro mensagens que informam sobre a plataforma SOS Mulher, que traz informações úteis sobre segurança, saúde e independência financeira para mulheres em situação de vulnerabilidade. Foto: Divulgação

Painéis eletrônicos ao longo dos 570 quilômetros de rodovias concedidas exibem mensagens em apoio à proteção de mulheres em situação de vulnerabilidade

Os painéis eletrônicos de mensagens instalados nas rodovias administradas pela concessionária Entrevias estão exibindo neste mês de novembro mensagens que informam sobre a plataforma SOS Mulher, que traz informações úteis sobre segurança, saúde e independência financeira para mulheres em situação de vulnerabilidade.

A medida ocorre em apoio à causa de proteção a mulher e em adesão à iniciativa do Fundo Social de São Paulo (Fussp), e em parceria com a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). Duas mensagens estão sendo veiculadas: www.sosmulher.sp.gov.br / Saúde, segurança e educação para mulheres.

A plataforma SOS Mulher traz informações, dicas e aulas sobre como empreender, cuidar da saúde e da segurança. No site www.sosmulher.sp.gov.br é possível ter acesso a orientações diversas sobre assuntos que visam proteger a mulher de todos os tipos de violência: física, psicológica, moral, sexual e patrimonial.

O Brasil registra, a cada quatro minutos, pelo menos um caso de agressão cometida por homens contra mulheres, segundo levantamento do Ministério da Saúde.  O feminicídio é a principal causa de mortes femininas no país: a cada duas horas, uma mulher é assassinada.

Além do portal na internet, o aplicativo com o mesmo nome, SOS Mulher, permite que vítimas de violência doméstica peçam ajuda à Polícia Militar a partir de um botão de pânico instalado no celular.  A ferramenta é válida para mulheres que tenham alguma medida protetiva (como ordem de afastamento), determinada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui