ENCOSTAS: A Lamsa inicia nesta semana a manutenção das encostas às margens da Via Expressa no RJ. Foto: Divulgação

De acordo com a concessionária, Via Expressa terá mais 3,5 quilômetros de pista com olhos de gato e limpeza no Rio Faria, além de revisão de pavimento e sinalização

A concessionária Lamsa, responsável pela Linha Amarela, no Rio de Janeiro, inicia nesta semana o monitoramento de encostas, pavimento e sinalização horizontal em toda a extensão da Via Expressa.

De acordo com a empresa, a ação faz parte do programa permanente de manutenção da rodovia, que contará também com a revisão de equipamentos de segurança como guardrails e alambrados instalados na via expressa.

Ainda de acordo com a Lamsa, as ações incluem a instalação de tachas refletivas (“olhos de gato”) num trecho de 3.500 metros nas muretas e pistas nos dois sentidos da rodovia. A concessionária também limpará o leito do Rio Faria até o seu encontro com o Faleiros, e a drenagem no viaduto sobre a Avenida Dom Helder Câmara, na Abolição.

A concessionária também prossegue com as obras de modernização do Viaduto Oswaldo Cruz, que liga a Linha Amarela à Ilha do Fundão, orçadas a um custo estimado de R$ 15 milhões e duração de 18 meses.

Segundo a empresa, após a intervenção, a ponte passará a suportar cargas de 45 toneladas, quase dobrando o limite atual, de 24t, atendendo ao aumento de demanda de caminhões pesados que seguem para o Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro e a Zona Oeste, incrementando a malha de logística da capital.

Em Jacarepaguá, a Lamsa continua as obras para proteção do maciço rochoso sobre o Túnel Enzo Totis, com a instalação de tirantes metálicos (barras de aço) para reforço de cortinas atirantadas — estruturas de concreto construídas para evitar deslocamentos de massa e deslizamentos de terra — e de redes de proteção na margem da pista em direção à Ilha do Fundão. O investimento ali é de R$ 3 milhões.

Coronavírus

A Lamsa reforçou a higienização de instalações internas e externas da Linha Amarela para prevenir a expansão do coronavírus no Rio. Nas cabines da praça de pedágio, há desinfecção constante e dispensadores de álcool em gel para os motoristas limparem as mãos após o manuseio de dinheiro. Os funcionários, por sua vez, também têm o produto para uso constante e contam com máscaras como mais uma barreira física para a proteção contra o vírus

Para quem precisar sair de casa, a Lamsa recomenda que os veículos circulem de janelas abertas e sejam limpos com água e sabão ou produtos multiuso, afastando os riscos de contaminação pelo coronavírus. As precauções principais devem ser tomadas nos locais de maior contato manual, como volante, cinto de segurança, maçanetas, puxadores das portas, alavanca de câmbio e botões de rádio, ar-condicionado e de acionamento de vidros elétricos.

Fonte: Assessoria de imprensa da Lamsa

1 COMENTÁRIO

  1. A MAIOR QUADRILHA ESTATAL DO BRASIL…
    Por Luiz Pereira Carlos
    Esses dois pedágios do esquema que envolve CESAR MAIA, a esposa de GILMAR MENDES, alem dezenas de autoridades, LAMSA & TRANSOLIMPICA, que atuam na terra do presidente, são CLANDESTINOS por estarem sendo cobrada em AVENIDAS, uma cobra por trafegar em 13 km e outro por 15 km. Por não ser permitido e nem haver legislação MUNICIPAL para concessão de pedágios urbano em vias de uso comum do povo Art. 228 & 231 ambos da LOM/RJ a ANTT não pode interferir monitorar e regular essa situação porque como sabemos pedágios são prerrogativas da União em parceria com ESTADOS em ESTRADAS, nunca numa via ESSENCIALMENTE URBANA de uso diário obrigatório do contribuinte. Nessas condições impondo por força e coação mediante AMEAÇAS de MULTAS se caracteriza o crime de extorsão. Como se trata de um CRIME PERMANENTE DE ESTADO, público e notório, na presença das autoridades que deveriam combater esse crime, ou seja, MINISTERIO PUBLICO, até porque os estelionatários concessionários INVEPAR-LAMSA-OAS usam ardilosamente do engodo da falácia, emitindo para os ‘usuários’ recibos falsos sem qualquer valor fiscal, nessa situação, podemos dizer assim que ha outros crimes em andamento entre eles o de prevaricação, e a suspeita maior de FORMAÇÃO DE QUADRILHA DE AUTORIDADES para recebimento de propina mensal pela manutenção do esquema marginal. (LuizPCarlos – 17.05.2020)

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui