Fluxo de veículos leves puxou queda; dados foram divulgados nesta sexta-feira (9)

Em outubro, o movimento de veículos nas estradas e rodovias pedagiadas caiu 0,7% em relação ao mês de setembro. Os dados foram divulgados nesta 6ª feira (9) pela ABCR (Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias).

A queda foi puxada pela retração de 1,1% na movimentação de veículos leves, como automóveis de passeio. Já o movimento de pesados, como caminhões e transportes de cargas, subiu 0,3% no período.

De acordo com Thiago Xavier, analista da Tendências Consultoria, a retração do fluxo de veículos leves interrompeu a recuperação das perdas causadas pela greve dos caminhoneiros, em maio.

“O quadro de baixo dinamismo dos veículos leves converge com as dificuldades financeiras ainda apontadas pelas famílias em meses recentes”, afirmou.

Na avaliação do analista, apesar da alta no movimento de veículos pesados em outubro, ainda não é o suficiente para recuperação total do fluxo observado antes da greve. Em relação a outubro de 2017, houve recuo de 2,7%.

“O comportamento oscilante do fluxo de [veículos] pesados desde a paralisação de maio também evidencia as dificuldades e a lentidão que configuram o processo de retomada da produção industrial”, disse.

De janeiro a outubro, o movimento nas estradas caiu 1,9%. Reflexo da queda de 2,8% no movimento de veículos leves e da alta de 0,8% no fluxo de pesados.

O que é o índice ABCR?

O índice mede o fluxo de veículos nas estradas e rodovias do país sob concessão privada. É produzido pela ABCR,  em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

Os dados, divididos entre veículos leves, como os carros de passeio, e pesados, como caminhões, podem ser analisados como indicadores do desempenho da economia brasileira, especialmente em relação à atividade de setores da indústria, comércio e serviços.

Fonte: www.poder360.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui