Fluxo estável na passagem do mês

Em agosto, o fluxo de veículos nas estradas e rodovias pedagiadas caiu 1,6% em relação ao mesmo mês de 2017. Os dados foram divulgados nesta 2ª feira (10.set.2018) pela ABCR (Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias).

A queda foi puxada pela redução de 3% na movimentação de veículos leves, como automóveis de passeio. Já o movimento de veículos pesados, como caminhões e transportes de cargas, teve aumento de 1,8% no período.

Em relação a julho deste ano, o indicador registrou estabilidade pelo 2º mês consecutivo. Na comparação mensal, os fluxos de veículos leves e pesados apresentaram alta de 0,6% e 0,7%, respectivamente.

Para Thiago Xavier, analista da Tendências Consultoria, o resultado deste mês sinaliza redução de efeitos transitórios da greve dos caminhoneiros, no final de maio.

“A relativa estabilidade dos últimos meses, após a reversão parcial das perdas de maio em junho, sugere que o fluxo total de veículos se encontra 1 pouco abaixo do observado nos meses que antecederam a greve dos caminhoneiros”, disse.

No acumulado do ano, de janeiro a agosto, o movimento nas estradas caiu 1,6%. Reflexo da queda de 2,5% no movimento de veículos leves e da alta de 1% no fluxo de veículos pesados.

O que é o índice ABCR?

O índice mede o fluxo de automóveis nas estradas e rodovias do país sob concessão privada. É produzido pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias, em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

Os dados, divididos entre veículos leves, como os carros de passeio, e pesados, como caminhões, podem ser analisados como indicadores do desempenho da economia brasileira, especialmente em relação a atividade de setores da indústria, comércio e serviços.

Fonte: www.poder360.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui