O Estado do Ceará é o campeão, no país, em fraudes contra o Seguro DPVAT. Ilustração/Divulgação

Casos espalhados pelo Brasil dão conta do que as pessoas são capazes de fazer para fraudar o seguro

As ações de prevenção e combate às fraudes da Seguradora Líder foram destaque em matéria do jornal Folha de São Paulo do domingo (24). O foco da matéria é sobre os números das ações proativas da Seguradora Líder no combate sistemático às quadrilhas de fraudadores e os casos mais emblemáticos detectados no último ano.

A matéria faz sua abertura com a informação de que há casos de pessoas baleadas que foram registradas como vítimas de trânsito; uma mãe que fez uma falsa declaração de que sua filha estava paraplégica; e outro refere-se a um professor de artes marciais que está dando aulas práticas quando deveria estar se recuperando de uma fratura exposta.

Todos esses casos são exemplos das quase 12 mil fraudes identificadas em 2018 ao DPVAT, em todo o país, destacou o jornal, que abordou também o ranking de fraudes identificadas por Estado, que tem o Ceará na liderança, com mais de 2.770 pedidos indevidos.

Um dos trechos da reportagem mostra que o estado do Ceará, que tem apenas a nona maior frota do Brasil, contabiliza uma em cada cinco fraudes do tipo no país. Esse dado o coloca há anos no topo do ranking de irregularidades no setor, seguido em 2018 por São Paulo e rio Grande do Sul.

No estado, para cada 8 seguros pagos, 1 fraude é identificada, o sêxtuplo da média nacional. De acordo com a Líder, há anos quadrilhas no Ceará têm se especializado em fraudar o DPVAT.

Os resultados das ações proativas da Seguradora Líder, encaminhando notícias crimes aos órgãos competentes quando as fraudes são identificadas, também foram abordadas pela reportagem, detalhando as principais operações de 2018.

Baseado em cálculos da Seguradora Líder, 62 pessoas foram condenadas (23 delas presas) em 39 processos em todo o país por participarem de redes de fraudes.

Além disso, houve 33 cancelamentos, suspensões ou cassações de registros em órgãos de classe como conselhos de medicina e de fisioterapia.

Um dos casos revelados foi o de um fisioterapeuta na cidade de Santa Quitéria, no Ceará, que emitia um volume atípico de laudos de acidentados no trânsito.

Descobriu-se que uma quadrilha angariava pessoas acidentadas no trânsito e oferecia o serviço de facilitar o recebimento de seguros no DPVAT.

Essas pessoas eram encaminhadas a uma clínica de fisioterapia que emitia laudos e recibos de tratamentos não realizados. O esquema teria conseguido pegar R$ 400 mil em mais de 600 casos. Veja a reportagem na íntegra, clicando aqui.

Fonte: Estradas com Seguradora Líder

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui