AÇÃO PREVENTIVA: Equipe da PRF em Pernambuco envolvida na Operação Vita. Foto: Divulgação/PRF

Regional foi escolhida pelo destaque nos estudos para redução da acidentalidade. Ações fazem parte da 2ª etapa

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou, entre os dias 14 e 19 de setembro, a segunda etapa da Operação Vita, nas rodovias federais de todo país. A iniciativa teve por objetivo a prevenção de acidentes e preservação da vida, a partir da análise dos pontos críticos de acidentalidade da regional.

A Operação Vita leva em consideração o estudo dos fatores viários que influenciam os sinistros de trânsito em todo o país, tais como problemas de infraestrutura viária, fatores humanos, sinalização e tráfego de veículos. Pernambuco foi escolhido para sediar as ações pela sua relevância na região Nordeste e pelo desenvolvimento de estudos com foco no direcionamento da fiscalização para locais de maior incidência de acidentalidade.

“Essa é uma grande oportunidade de desenvolver conhecimentos na área de prevenção de acidentes em Pernambuco, cuja equipe tem se destacado pela disseminação de boas práticas entre o efetivo das Delegacias. A regional será uma das pioneiras a utilizar equipamentos e tecnologias de perícia de acidentes durante a operação, como drones e scanners 3D, nas inspeções técnicas viárias”, destacou o superintendente executivo, Eduardo Siqueira Campos.

A ação constitui mais um avanço para diminuição de acidentes nas rodovias federais, pois se baseia na análise de dados para fundamentar ações preventivas, que impactem na redução da acidentalidade. A PRF, desta forma, consolida-se como uma importante protagonista no estudo e prevenção de acidentes, alinhada com os objetivos da Organização das Nações Unidas (ONU), que definiu os anos de 2021 a 2030 como a Segunda Década de Ação pela Segurança no Trânsito, cuja meta é a redução de, pelo menos, 50% de lesões e mortes no trânsito no mundo inteiro.

De acordo com a coordenadora de Prevenção e Atendimento de Acidentes da PRF, Sirlei Kuiava, a melhoria na qualidade da coleta de dados otimiza o diagnóstico de fatores de risco que impactam a segurança viária e contribui para subsidiar decisões quanto à adoção de medidas voltadas para fiscalização, educação para o trânsito, engenharia de tráfego, entre outras, nos segmentos de maior criticidade para acidentalidade nas rodovias federais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui