PRAZO: Caixa Econômica Federal tem prazo de 90 dias para adotar uma série de medidas, que objetivem corrigir as falhas relacionadas aos atrasos superiores a 30 dias nos pagamentos de indenizações. Foto: Divulgação

De acordo com o TCU, a Caixa Econômica Federal deve adotar, num prazo de 90 dias, uma série de medidas para corrigir as falhas

O Tribunal de Contas da União (TCU) julgou “parcialmente procedente” a denúncia sobre possíveis irregularidades na gestão do seguro DPVAT em 2021, ocorridas no âmbito do contrato firmado pela Susep com a Caixa Econômica Federal (CEF).

Além disso, os ministros determinaram que a autarquia adote, no prazo de 90 dias, uma série de medidas, incluindo a apresentação dos resultados de suas ações de fiscalização, com a efetiva adoção de medidas que objetivem corrigir as falhas relacionadas aos atrasos superiores a 30 dias nos pagamentos de indenizações, apresentando os dados relativos ao ano de 2021, mês a mês; aperfeiçoar a forma de comunicação com os beneficiários com processos pendentes de regularização, a fim de instá-los a complementar as informações/documentos necessários; e aumentar o percentual mensal de pagamentos do seguro DPVAT, apresentando os dados relativos ao ano de 2021, mês a mês.

De acordo com o TCU, a Susep deve aprimorar a funcionalidade do aplicativo do seguro DPVAT, solucionando, desta forma, as impropriedades detectadas no âmbito da Caixa, a fim de cumprir o princípio da eficiência.

Segundo o Tribunal, foi determinado ainda à Secex Finanças (Secretaria de Controle Externo do TCU) que monitore o cumprimento dessas ações de fiscalização, apresentando ao Tribunal, no prazo de 60 dias, as conclusões dos trabalhos.

3 COMENTÁRIOS

  1. A caixa econômica federal está d e de brincadeira com as vítimas de acidente de trânsito uma falta de respeito

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui